Leigos Missionários Combonianos Portugal
Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni
22
Set 16

 

unnamed.jpgQue título?

 

Que título utilizo? “Já passou uma semana” ou “ainda só passou uma semana” (desde que cheguei aqui)?

Cheguei a Londres no passado dia 3 de setembro. Os ponteiros do relógio passavam já das 23 horas quando entrei na «minha nova casa». Às vezes (sim, às vezes), esta não é a minha casa, é mais do que isso: é o meu lar – consigo senti-lo e comover-me com isto.

[“Ainda só passou uma semana” e sinto-me bem aqui, nesta comunidade.]

 

Geralmente, cá em casa, somos 6 - eu; três padres (Pe. Angelo, italiano, Pe. Rogelio, Mexicano, e o Pe. Patrick, irlandês); e mais 2 jovens (o Paulo, que é enfermeiro e, há poucos dias, chegou o Amir, para procurar trabalho). Mas constantemente este número varia: por vezes há padres de outras comunidades, ou familiares/ amigos, que pernoitam ou ficam alguns dias connosco.

[“Ainda só passou uma semana” e tenho conhecido tantas pessoas!].

 

A Comunidade de padres que vive comigo tem-me permitido aprender, crescer, amadurecer. Começamos o dia juntos, na Capela – rezamos as Laudes e celebramos Missa. Ao fim do dia, antes do jantar, é lá que nos voltamos a encontrar para a Oração da tarde. Aos poucos começo a conseguir rezar as orações “sem espreitar e sem ler” pelos livros (tudo em inglês!). Os padres são muito pacientes e incentivam-me a não descurar nem a perder a vontade de aprender. De vez em quando até me convidam para fazer as Leituras.

 [Às vezes penso: “ainda só passou uma semana e já consigo dizer uma oração sem estar constantemente a ler; outras, em momentos de algum desânimo, penso: “já passou uma semana e ainda preciso de um guia”]

 

Pouco antes das 9h saio de casa para a escola onde tenho aulas de inglês. É lá que passo o resto da manhã. Na mesma classe que eu estão outras pessoas de várias idades e nacionalidades (turcos, brasileiros, argentinos, mexicanos, peruanos, japoneses e chineses).

[“Ainda só passou uma semana”, mas tenho aprendido tanto!].

 

As refeições são feitas em comunidade. É um momento de partilha. Mais do que partilharmos os alimentos, partilhamos a vida uns com os outros. É também um momento de aprendizagem, de intimidade, de “pôr em comum” – um dos espaços privilegiados onde a relação flui.

[“Ainda só passou uma semana”, mas as nossas relações têm-se sedimentado, aos poucos, ao ponto de sabermos cada vez mais um dos outros.]

 

unnamed3.jpgNo meu tempo livre tenho tido a oportunidade de conhecer Londres e visitar alguns sítios – Natural History Museum, Science Museum, Southbank Museum, London Eye, Big Ben, Buckingham Palace, Portobello Road (market), Royal Parks (Hyde Park, Diana – Princess of Wales Memorial Fountain, Serpentine Lake, Kensington Gardens, Albert Memorial, …).

[“Ainda só passou uma semana” e já pude ver tanto…].

 

Para me ocupar, aproveito também para ler, para estar ou conversar com alguém e para ajudar cá em casa com alguma coisa que seja necessária.

«Tudo» serve para aprender aqui. O importante, tenho notado, é estarmos disponíveis (interiormente) para que isso aconteça - para errar, sem medo, e para aceitar humildemente as correções. Ainda que ler, ver televisão, ouvir alguém, estudar… sejam importantes para aprender [inglês], tem sido desta maneira que mais tenho aprendido: quando erro e alguém me corrige. Tenho aprendido que a correção tem, de certa forma, uma dimensão relacional – implica uma abertura generosa, espontânea e empática entre as pessoas – ajuda a ser e a construir vida entre aqueles que corrigem e se deixam corrigir.

 

unnamed 2.jpgOntem, domingo, aconteceu algo de maravilhoso! O dia 11 de Setembro é o primeiro dia do ano, segundo o calendário Etíope – chama-se Enkutatash (“gift of jewels” – não estou certa da tradução nem do significado, deixarei «isso» para mais tarde…). O padre Frasa, que está cá em casa durante alguns dias, convidou-me para celebrar com a comunidade etíope desta zona. Foi delicioso, uma autêntica experiência de céu, no mínimo! A eucaristia, com o rito etíope, durou mais ou menos 3 horas (não percebi nada – absolutamente nada - do que diziam ou cantavam, pois foi celebrada em ge’ez, na língua amárica. No final, fui apresentada à comunidade que me saudou e acolheu com alegria e hospitalidade, convidando-me para uma refeição tradicional. Dividi o prato com outras 4 crianças e uma mamã: é sinal de amizade, de hospitalidade, de lealdade (“aqueles que comem do mesmo prato não se vão trair”, disseram-me). Comemos injera e pude “experimentar” gursha (quando alguém enrola um bocado de comida em injera, mergulha em wot («molho»/ acompanhamento) e alimenta-nos diretamente à boca) - poder alimentar alguém é sinal de amizade e de amor («gosto de ti, por isso alimento-te»); poder receber comida de alguém é sinal de hounnamed 4.jpgspitalidade e de aceitação (é como um abraço entre amigos). Ficou a promessa de um reencontro no próximo domingo. É curioso aperceber-me que foi «à mesa» que experimentei a intimidade e onde «senti um quase batismo», o encontro com a cultura e com as pessoas. Que bênção!

[“Ainda só passou uma semana” e já tive a graça de mergulhar um pouco na “Etiópia”!]

 

Termino. Mas não sem antes reparar que não foi «só na Etiópia» que começaram o novo ano. De certa maneira, é também assim que me sinto: a começar algo singular, a inaugurar um novo ciclo e a dar os primeiros passos no caminho que me está a ser confiado.  

Que título? O amor – a Comunidade; a Partilha; o Serviço; a Correção; … – O amor é o título (e o corpo e a memória)!   

 

[PS: “Já passou uma semana”, e fui (tenho sido) abençoada com tantas maravilhas, com tantos encontros, com tantas experiências e confio que mais virão porque, ainda assim, “ainda só passou uma semana” - «Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância» (Jo 10,10)]. 

 

 por Marisa Santos

publicado por LMC às 22:45
17
Set 16

 

 

FOTO LMC 2016-2017.png

 

 

 “Não fostes vós que me escolhestes, mas Eu vos escolhi e vos constituí para que vades e deis fruto, e para que o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo o que pedirdes a meu Pai em meu nome, Ele vo-lo conceda. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros.” (Jo 15, 16-17)

 

 


Encontros Formativos

(para formandos e para quantos desejarem participar, aprofundar e/ou rever algum tema)
16-18 Setembro (Fátima): Jornadas Missionárias * Apresentações
14-16 Outubro (Viseu): A Palavra como con-vocação
18-20 Novembro (Viseu): A Missão hoje: Como? Porquê? Para quê? A Igreja em ato
09-11 Dezembro (Viseu): Encontro de Natal – Encontro geral
20-22 Janeiro (Viseu): Comboni: Deus, a Cruz e a Missão
17-19 Fevereiro (Viseu): Comunidade: desafio e oportunidade
17-19 Março (Viseu): Retiro Quaresmal
28-30 Abril (Viseu): Reler e reler-me: a família e o projeto de vida
19-21 Maio (Viseu): E tu, Maria, que nos dizes da Missão?
16-18 Junho (Maia): Curso de Espiritualidade Comboniana (inscrição própria)
07-09 Julho (Viseu): Avaliação e Convívio em Família
29 Julho (Fátima): Peregrinação da Família Comboniana a Fátima
21-26 Agosto (Fátima): Curso de Missiologia (data a confirmar)

 

Encontros Nacionais dos LMC
16-18 Setembro: Jornadas Missionárias * Apresentações
14-16 Outubro: Assembleia Nacional LMC
09-11 Dezembro: Encontro de Natal – Encontro geral
17-19 Março: Retiro Quaresmal
16-18 Junho: Curso de Espiritualidade Comboniana (inscrição própria)
07-09 Julho: Avaliação e Convívio em Família
29 Julho: Peregrinação da Família Comboniana a Fátima


«Ao longo da sua vida o LMC, como principal interessado, cuida e aprofunda a sua vocação e identidade, através da formação permanente. Marcam o ritmo da formação permanente alguns encontros a nível nacional, propostos anualmente pela Equipa Coordenadora».
(Arto 17, Diretório LMC)

 

publicado por LMC às 16:14
04
Set 16

 

unnamed4.jpg

 

Partiu ontem, do aeroporto Francisco Sá Carneiro, a Marisa Santos, com destino a Londres para a primeira fase da sua preparação antes da partida para a Missão de Awassa. Aqui ficará até final de Outubro para aperfeiçoar o estudo do idioma inglês.
A sua família, os LMC e os amigos quiseram estar presentes na sua despedida.
Sabemos que chegou bem e já se encontra na casa dos MCCJ em Dawson Place.
Desejamos à Marisa que este seja um tempo frutífero para o seu trabalho de aprendizagem.

Que o Senhor e S. Daniel Comboni a protejam e acompanhem.
Estamos Juntos!

 

por Carlos Barros

publicado por LMC às 17:01
04
Set 16

 

 

RV18770_Articolo.jpg 2.jpg

 

Para ver e ouvir a entrevista que o coordenador dos Leigos Missionários Combonianos em Portugal, Carlos Barros, deu à Rádio Vaticano acerca da Assembleia Europeia dos LMC, decorrida de 21 a 27 de Agosto, em Viseu - Portugal, clique aqui

 

publicado por LMC às 00:28
31
Ago 16

 

Segue a notícia publicada pela Agência Ecclesia acerca da Assembleia Europeia dos Leigos Missionários Combonianos, decorrida de 21 a 27 de Agosto, em Viseu - Portugal.

 

ECCLESIA_crop.jpg

 

 

 "Viseu: Portugal acolhe encontro europeu de Leigos Missionários Combonianos

 

 

Encontro Europeu.jpg

Crise dos refugiados é um dos pontos em agenda

 

Viseu, 23 ago 2016 (Ecclesia) – Cerca de uma centena de Leigos Missionários Combonianos estão reunidos num encontro europeu em Viseu, que tem na agenda a atual crise dos refugiados e o modo como ela deve desafiar a ação deste movimento.

 

Em entrevista hoje à Agência ECCLESIA, Carlos Barros, o coordenador dos LMC em Portugal, frisa a importância de “mediante os factos que estão a acontecer na Europa, ver até onde o movimento pode ir”.

 

“Não nos podemos esquecer que estamos confrontados com acontecimentos graves, principalmente com a chegada de tantos e tantos refugiados. Por exemplo, os LMC italianos já fazem um trabalho belíssimo neste campo, têm três comunidades permanentes onde trabalham e vivem com esta realidade. Também no resto dos países teremos de encontrar respostas”, aponta aquele responsável.

 

O encontro europeu, a decorrer até este sábado, conta com a participação de leigos vindos de Espanha, Itália, Alemanha, Áustria e Polónia, além dos membros do movimento aqui em Portugal.

 

Os LMC fazem parte da Família Comboniana, estão ligados aos Missionários Combonianos e começaram as suas atividades no país há cerca de 20 anos.

 

Atualmente o grupo de LMC português é formado por cerca de 25 leigos, casados, solteiros, homens e mulheres, jovens das mais variadas proveniências,  que são preparados para integrar projetos de missão, sobretudo para países mais carenciados de África e da América Latina.

 

“Uma das nossas diretrizes é sempre termos no pensamento a missão ‘ad gentes’, para outros povos, mas teremos de repensar a missão, não esquecendo esta vertente de ir ao encontro dos mais pobres e abandonados”, admite Carlos Barros.

 

“De certa forma, isto também obriga a repensar sobre a formação das nossas pessoas, de modo a que possamos contemplar estas novas realidades”, acrescentou.

 

Os LMC – Portugal têm neste momento uma leiga em missão na região de Mongoumba, na República Centro Africana, a Maria Augusta, que também já esteve 9 anos em missão em Moçambique.

 

No início de 2017, em janeiro, o movimento católico enviará outra leiga em missão, natural de Viseu, a Marisa Almeida, que partirá para Awasa, na Etiópia.

 

“É uma alegria também para nós podermos contribuir com estes leigos missionários para alimentar estas missões internacionais”, frisa Carlos Barros.

 

Ao longo desta semana, os leigos missionários combonianos de toda a Europa, reunidos em Viseu, irão debater ainda a sua identidade e vocação, no plano internacional; a sua organização e coordenação; e os desafios à sustentabilidade do movimento.

 

“Nós de certa forma ainda estamos um pouco ligados, por cordão umbilical, ao Instituto dos Missionários Combonianos do Coração de Jesus, e não é que isto tenha mal algum, mas teremos de encontrar formas próprias de nos autossustentar”, conclui.

JCP"

 

Para ler a notícia no site da Agência Ecclesia, clique aqui.

 

publicado por LMC às 01:07
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Setembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
últ. comentários
Querida Marisa,Obrigado pelo teu rico testemunho. ...
Que alegria que esta mensagem nos transmite! A "Al...
Fico feliz pela notícia. Um casal missionário jove...
Élia, não sei se alguma vez nos cruzámos na AMI, m...
Rufina, adorei ler-te.Como uma vez me disseram qua...
EU ACHEI MUITO BONITO
Missão desafiadora, particularmente nos tempos de ...
Obrigado Élia!O Senhor vos guarde e dê força e cor...
Votos de boa missão à nova Comissão Europeia e um ...
Obrigado Samira pelo seu apreço e pelas suas palav...
Visitas
contador gratis
blogs SAPO