Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Envio da Márcia

Neste fim-de-semana de 24 e 25 de Outubro, pudemos estar presentes na Paróquia da Márcia, Valongo do Vouga, para celebrar o seu envio para a missão de Mongumba na Republica Centro Africana, juntamente com a sua Comunidade Eclesial.

 

No Sábado, começamos por participar em vários encontros de catequese onde falamos da partida da Márcia e apresentamos vários aspectos da Missão da Igreja. Estivemos presentes na Missa para as crianças, muito participada, onde se percebeu a animação da sua Paróquia. À noite, fizemos uma vigília de oração com um bom número de pessoas.

 

No Domingo foi o grande dia, a igreja estava cheia para participar na Missa de envio presidida pelo Pe. Luís Filipe Dias, Missionário Comboniano que, para além de já ter trabalhado naquela paróquia, foi um dos responsáveis pela construção das fundações do nosso Movimento em Portugal.

 

A Eucaristia foi carregada de sentido e vivida com muita emoção. Para alem do significado que tem a partida da Márcia, foi sublinhado o papel dos que ficam, especialmente dos familiares e amigos mais próximos, que também são convidados a olharem para este acontecimento com os olhos da fé e a entregarem todas as dificuldades a Deus para participar desta forma tão especial na Missão da Igreja.

 

Foi muito bom poder ter participado neste fim-de-semana missionário, por tudo o que representa a partida de mais uma missionária de Jesus para o Mundo, mas também pelo convívio com todos aqueles que se sentem próximos da Márcia e participaram da festa.

 

A forma como a família da Márcia nos abriu as portas foi tocante, dando-nos o privilégio de assistir, tanto à alegria de vê-la a dar um passo tão importante, como à saudade que o afastamento que se aproxima promete a todos.

 

Agradecemos a hospitalidade de toda a comunidade de Valongo do Vouga que foi maravilhosa pelo entusiasmo demonstrado nas Eucaristias. Agradecemos ao Pe. João Paulo, pároco de Valongo do Vouga, pela disponibilidade, abertura e participação sentida. Finalmente agradecemos à Família da Márcia pela alegria e hospitalidade com que nos recebeu. 

 

Todos juntos pedimos ao Senhor que, por intercessão de Maria e Comboni, acompanhe sempre a Márcia pelos caminhos da Missão, que mantenha o seu coração aberto aos Seus Desígnios e os nossos fervorosos na oração para que tudo corra segundo a Sua vontade.

 

                                                                                                          Pedro Moreira

LMC       

 

Ecos dos Encontros de Setembro e Outubro

Encontro de Setembro
 

O novo ano de formação teve início no fim-de-semana de 12 e 13 de Setembro. Foi bom reencontrar amigos (infelizmente nem todos conseguiram estar presentes) e dar as boas vindas à Graciete e ao Carlos, os nossos mais recentes companheiros de caminhada.

O tema deste primeiro encontro foi Jesus Cristo e o Reino, onde debatemos conteúdos como: o Reino de Deus e a Missão, O Reino de Deus e a Igreja e ainda a conferência do Pe. Carlos Carneiro sobre a Vida.

Em síntese:

- A missão é de Deus Pai que se realiza no Filho pelo Espírito Santo, o que faz de nós missionários por participação;

- Para viver em missão, mais importante que o FAZER é o SER, pois é fundamental que nos conheçamos bem, que nos aceitemos na nossa totalidade, só assim conseguimos ter uma relação mais próxima com Deus e com os outros. Como nos diz o Pe. Carlos Carneiro na sua conferência: “Ninguém pode viver fora de si… quanto mais perto de Deus mais perto de cada um de nós.”

- A Igreja é um meio ao serviço do Reino que tem como missão: difundir a Palavra de Deus, anunciar o Reino de Deus e fomentar a força da actividade missionária.

Ninguém melhor para definir o Reino de Deus que Jesus Cristo, foi o que fez nas Suas parábolas: Mc.4,26 - O Reino de Deus é como uma semente; Lc.14, 21 - O Reino de Deus é como o fermento; Mt.13, 44 - O Reino de Deus é como um tesouro escondido. O Reino de Deus é comparado a coisas pequenas e que nos podem parecer insignificantes, mas que nos conseguem surpreender de forma positiva e maravilhosa. 

 

Liliana
 

 

Encontro de Outubro

 

Mais um encontro se realizou no fim-de-semana de 17 e 18 de Outubro, que teve como tema a Assertividade. Neste novo encontro juntou-se ao grupo mais um elemento, a Sofia, que vem da zona do Porto (Vila do Conde).

No dia 17, começamos por partilhar um momento bonito que nos aconteceu nos últimos tempos, passando depois para a definição de assertividade, que não é mais que um “acto de defender os direitos pessoais e exprimir pensamentos, sentimentos e convicções de forma apropriada, directa e honesta, de modo a não violar os direitos dos outros” em suma significa afirmar-se.

Como nos diz S. Mateus no seu evangelho “Seja este o vosso modo de falar: sim, sim, não, não.” (Mt.5, 37). É essencial cultivar a simplicidade no modo de falar. Para nós cristãos é importante que tenhamos coragem de uma auto-avaliação na oração a Jesus Cristo, sobre o modo como nos afirmarmos perante os outros e nós próprios de modo a crescer no amor e na humildade.

A assertividade pode não ser uma característica inata ou um traço de personalidade que alguns de nós possuem e outros não, mas é uma aptidão que pode ser aprendida e trabalhada ao longo da vida.

Ser assertivo é ser empático e torna-nos mais feliz. E é algo que devemos procurar, por mais difícil que possa parecer, apenas temos de ser persistentes e sempre nós próprios.

Um aspecto que é importante ter em conta é que ninguém é 100% asserti vo com todas as pessoas e em todas as situações.

 

 

Depois da discussão sobre a temática dedicámo-nos à preparação da Festa Missionária da Casa de Coimbra e ao já tradicional jogo da canastra. Após do jantar participamos na Vigília Missionária na Sé Nova de Coimbra, presidida pelo Bispo de Coimbra D. Albino Cleto. E no dia 18 tivemos a Festa Missionária.

 

Sandrina e Liliana

 

 

 


 

Festas missionárias em Aveiro e Coimbra

Os Missionários Combonianos organizaram nas suas casas do Calvão e de Coimbra as tradicionais Festas Missionárias de Outubro, e como em anos anteriores, tiveram a colaboração dos leigos missionários Combonianos na preparação, acolhimento e animação.

Começamos por fazer referência à festa de Aveiro que teve lugar no dia 4 de Outubro e reuniu cerca de 100 pessoas entre colaboradores, amigos e benfeitores.

Iniciou-se com a reflexão sobre a mensagem do Santo Padre Bento XVI para o dia mundial das missões 2009, “As nações caminharão à sua luz”, e o testemunho do Pe Claudio Gomes na R.D. Congo. Seguindo-se a eucaristia, onde se continuou a reflexão e deu-se ênfase à actividade missionária da Igreja nas paróquias. Tivemos a notícia do falecimento da mãe do Ir. Francisco, rezamos para que o Senhor a acolha no Seu Reino e que dê força, coragem e esperança à sua família. 

Depois do almoço partilhado, foi dada a oportunidade aos participantes de contactarem com a realidade missionária dos leigos através do testemunho da LMC Sandra Fagundes, que falou da sua experiência de dois anos ligada ao ensino na missão de Carapira em Moçambique.

Sandra e sua mãe

No dia 18 de Outubro realizou-se, mais uma vez, a Festa Missionária da casa de Coimbra, que surpreendeu a todos pela grande adesão de colaboradores e amigos. A festa iniciou com o testemunho do Irmão Francisco, que partilhou a sua experiência missionária na Zâmbia, onde esteve 12 anos. Seguiu-se a celebração da Eucaristia, presidida pelo Pe. Germano, que na homilia falou da crescente importância da colaboração de todos (consagrados, leigos,…) para a difusão do Reino de Deus. Foi ainda lembrada a mensagem do Papa para o dia Mundial das Missões, e a LMC Márcia, que está de partida para a Republica Centro África. 

 Depois do almoço partilhado, houve muita animação, este ano com uma surpresa para todos, a actuação do Rancho Folclórico do Hospital de Sobral Cid, a que agradecemos a sua participação, mas antes desta actuação houve momentos de grande alegria protagonizados pelos nossos colaboradores e amigos – canções, anedotas e declamações de poemas. A festa terminou com um belo momento de oração.

 

 

Élia, Liliana e Sandrina

Formandas dos LMC

 

Dia de Comboni

No passado dia 10 de Outubro, dia de São Daniel Comboni, os Missionários Combonianos organizaram na sua casa de Coimbra, uma comemoração deste acontecimento que congregou o Sr. Bispo de Coimbra Dom Albino Cleto, a comunidade comboniana (Pe. Germano, Pe. Paulo e Ir. Francisco), Leigas Missionárias Combonianas (Márcia, de partida para a República Centro-Africana, Sandra e Élia), amigos, colaboradores, sacerdotes, religiosos e religiosas da diocese de Coimbra.

A festa iniciou-se com a celebração da Eucaristia, presidida por D. Albino Cleto, onde nos unimos a toda a Igreja, e em especial a toda a família comboniana, para celebrar a vida e a obra de São Daniel Comboni e agradecer a Deus por continuarem a existir pessoas que se entregam ao seu ideal e ao seu carisma.

Em seguida reunimo-nos à volta de outra mesa, onde também em comunhão, almoçámos e confraternizámos celebrando assim em festa este dia tão especial para todos.

 

Nesse dia D. Albino disse: “… hoje não devemos apenas levar/dar o nosso amor aos outros através de obras ou bens, devemos acima de tudo levar a Fé! Levar a Fé, a Esperança e a Caridade como São Daniel Comboni fez…”

Comboni no seu tempo enfrentou realmente grandes perigos, doenças e contrariedades mas nunca desistiu porque o que o impelia verdadeiramente era a Fé, a Esperança e a Caridade. Podemos comprovar isso nas palavras que ele escreveu a seus pais: “Teremos que sofrer, suar, morrer, mas o pensar que se sofre e morre por amor de Jesus Cristo e da salvação das almas mais abandonadas do mundo é demasiado consolador para nos fazer desistir da grande empresa”.

Sempre me identifiquei muito com o carisma de Comboni porque no seu lema "Ou África ou a morte” vejo a radicalidade e a intensidade da sua entrega à missão; no seu plano de “Salvar a África com a África” noto que era um homem visionário e defensor dos direitos humanos; ao dizer que o missionário deve ser ”santo e competente” e viver de um “grande amor a Deus, que leva a um grande amor ao próximo” é notório que Jesus Cristo era o centro da sua vida e que o trabalho e as dificuldades nunca o fariam desistir.

 

Que a vida e obra de São Daniel Comboni, um dos maiores missionários da igreja, continue a inspirar cada vez mais pessoas para que a sua profecia: “eu morro mas a minha obra não morrerá” continue sempre actual, através da doação da vida de homens e mulheres que escolhem segui-lo, e a Jesus Cristo, entre os povos mais necessitados na fé e mais abandonados pela sociedade.

 

Ester Alexandra

 

 

 

Moçambique

 Estive em Moçambique nos anos de 2004 e 2005 na missão de Mangunde como Leiga Missionária Comboniana. A missão fica a 300kms da cidade da Beira para interior. Colaborei como professora no Projecto ESMABAMA dando aulas na escola da missão, trabalhando com os professores no aperfeiçoamento da sua prática pedagógica, ajudando no lar feminino e dando-me sempre que possível e oportuno.  

Este ano tive a graça de puder voltar a Moçambique e fiquei muito contente de constatar que o país está crescendo a todos os níveis: político, económico, social e no número e no empenho das suas comunidades cristãs. Foi com imensa alegria que verifiquei também que a maioria dos meus antigos alunos se encontram a estudar, ou até já são meus colegas, e continuam activos nas suas paróquias. Que gratificante para a missão de Mangunde e para todos os que lá se deram e continuam a dar das mais diversas formas!

Não quero com isto dizer que já não são precisos mais missionários em Moçambique, bem pelo contrário! Ainda há comunidades que não sentiram o Amor e a Misericórdia do Senhor, jovens que buscam uma luz para seguir, crianças que se querem sentir amadas incondicionalmente pelo Pai.

Peço orações e coragem para que aumente o número de missionários e para que os que se encontram em missão sejam sinal de simplicidade, fervor e total disponibilidade, à semelhança do nosso fundador São Daniel Comboni.

Tabonga! (Obrigada na língua local)

 

Maria Lucília Marques

 

Encontro com antigos alunos, hoje a fazer uma licenciatura, na Beira

 

PORTUGUÊS COM SOTAQUE

Poucos dias após a minha chegada ao Brasil, fui a uma rádio comunitária juntamente com um dos padres. Apresentei-me, disse que vinha de Portugal e que ficaria naquela comunidade por dois anos. No dia seguinte, passaram por casa um rapaz e duas raparigas que me tinham ouvido na rádio e queriam conhecer-me. O rapaz perguntou-me, espaçando cada sílaba: «Vo-cê fa-la por-tu-guês?» E eu respondo: «Eu sou de Portugal. Claro que falo português!!!» E continuei explicando que estava a falar português com um sotaque brasileiro para me fazer entender. Aqui muita gente pensa que em Portugal se fala uma língua completamente diferente da variante brasileira do português.

 

Rapidamente consegui ultrapassar esta pequena diferença entre as duas variantes da língua portuguesa. Já me encontro no Brasil há mais de um ano e graças a Deus não senti grandes dificuldades na minha adaptação. Desde o primeiro dia que me sinto em casa, porque tanto a comunidade comboniana, como as pessoas daqui, me receberam com muita alegria e carinho. Também não foi difícil adaptar-me ao clima (quase sempre acima dos 30 graus) nem à alimentação (à base de arroz com feijão e carne de vaca ou de frango).

 

A minha missão situa-se no estado do Maranhão, no Nordeste interior, numa cidade chamada Açailândia.  

Álvaro

LMC - Açailândia

 

Continue a ler aqui.

JORNADAS MISSIONÁRIAS - 2009

As Jornadas Missionárias decorreram em Fátima nos dias 18, 19 e 20 de Setembro, levando os cerca de 450 participantes a reflectir e estudar «São Paulo e a paixão pela Missão». Fomos convidados nestas jornadas a prolongar a acção do Ano Paulino que deixou marcas também na forma de viver na missão e em Missão.

Como é impossível todos os LMC e formandos participarem nesta actividade organizada pelos IMAG, apresento-vos em nome dos que puderam estar (Márcia, Élia, Celina, Henrique, Sandra, Verónica, Ir. Carmo e Milu), os principais temas tratados.

Os diferentes oradores conduziram-nos pelos caminhos percorridos pelo apóstolo Paulo ao longo de toda a sua caminhada judaico-cristã. O bispo D. Couto abordou o tema “As grandes intuições da Missão de S. Paulo” salientando o grande encontro de Saulo com Cristo. Vincou a forte adesão deste apóstolo a Cristo que nos diz nas suas cartas: Fui agarrado por Jesus Cristo,… O Amor de Cristo tomou conta de mim,…para mim viver é Cristo.

 

A irmã Luísa Almendra abordou o tema Missão e culturas: dialogo ou confrontação reforçando que a paz será cada vez mais fruto do dialogo e da justiça. Esse diálogo deve começar dentro de cada povo de cada cultura (intracultura) proporcionado um diálogo intercultural, de respeito e de alegria pela diferença onde Cristo esteja sempre presente como fonte de união.

         Manuel Braga da Cruz sob o tema Uma Igreja aberta ao mundo, alertou para a vocação comunitária da Igreja que é chamada a combater e contrariar o individualismo já tão visível entre os cristãos.

         S. Paulo e o evangelho na cidade foi o tema apresentado pelo Cónego António Rego, traçando um itinerário urbano feito por S. Paulo que escolheu sobretudo as cidades como grandes centros de anúncio do evangelho, procurando sempre estabelecer uma rede de colaboradores que se deixaram conquistar pelo Ressuscitado e que com entusiasmo, mas também com espírito de sacrifício, continuavam a missão iniciada pelo maior missionário de todos os tempos.

          Com o tema S. Paulo e a Missão do sec.XXI, o missionário do Verbo Divino José António da Silva também percorreu connosco alguns momentos fortes da caminhada de S. Paulo e salientou sua grande influência, na missão de hoje que reflecte três rostos predominantes: um rosto laical, um rosto feminino e um rosto multicolor. Dizia-nos ainda que a Igreja uma só missão: prolongar no mundo esse diálogo entre Deus e a humanidade.

         O Missionário Adélio Torres Neiva apresentou-nos o Itinerário Espiritual da Missão em S. Paulo com a beleza da dimensão contemplativa da Missão. A Santíssima Trindade é sempre a fonte da Missão e dizia-nos ele que: O Espírito Santo parte connosco para a Missão e traça o nosso itinerário, tal como na caminhada missionária de S. Paulo, por isso somos todos chamados a viver a presença constante de Deus, dando espaço a que o Espírito se manifeste em nós para sermos verdadeiros missionários.

         Os painéis tiveram uma vertente mais concreta e no painel de Sábado foram apresentadas e promovidas iniciativas missionárias como o Curso da Missiologia que decorreu no mês de Agosto, o Guião para a vivência do “Outubro Missionário” e o Projecto “Missão 2010” na diocese do Porto que inclui uma série de iniciativas a culminar com o Congresso Missionário nesta diocese, iniciativas que foram apresentadas como exemplos a seguir para um maior compromisso evangelizador. No painel de Domingo foi dado espaço a três leigas de diferentes congregações e organismos, para nos darem o seu testemunho de Missão e nos falarem de projectos em que estão envolvidas.

No sábado à noite houve tempo para o habitual convívio que foi muito improvisado e animado, onde todos os que quiseram se divertiram e conviveram.

As jornadas terminaram com a Eucaristia no Domingo à tarde onde foram enviados missionários de diferentes congregações (padres, irmãs e leigos) e o movimento dos LMC esteve muito bem representado pela Márcia, enviada para o coração de África. Foram realmente umas Jornadas multicores pois estiveram missionários dos diferentes continentes e para todos esses continentes foram enviados missionários.

 

Ficámos nesse fim-de-semana em Fátima, na casa dos Missionários Combonianos e agradeço às nossas amiguinhas Márcia e Élia que aí se encontravam, em Comunidade P.I. (Preparação Imediata para a partida da Márcia), e que, tão bem nos receberam preparando a nossa chegada para todos vivermos mais intensamente e em espírito comunitário as Jornadas Missionárias.

 

 

 

 

                                                                                                                                                       Milu

Colaboradora LMC