Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

NOTÍCIAS DA MISSAO EM MONGOUMBA

Aqui já terminou o Ano Pastoral no dia 3 de Julho. Participaram na missa todos os novos baptizados, os escuteiros que fizeram a sua promessa e todos os peregrinos das duas peregrinações. A primeira peregrinação a Bangui, pela vinda do Papa Francisco, e a segunda a Mbaiki, pela festa do Sagrado Coração de Jesus. Foi uma Eucaristia longa,cerca de 3 horas, mas toda a gente estava contente.

índice 3.jpg

O bispo da Diocese fez um santuário ao Sagrado Coração de Jesus, no alto da colina, donde se avista uma bela paisagem. De Mongoumba fomos 250 peregrinos. Partimos no dia 30 de Maio e chegámos no dia 1 de Junho à noitinha. Eu não pude caminhar, pois tive que conduzir um dos carros que transportavam todos os utensílios necessários para cozinhar, a comida e as cozinheiras. Participei nas orações e nas catequeses que foram realizadas durante a peregrinação e no dia 2 em Mbaiki. No dia do Sagrado Coração de Jesus, fomos em procissão até ao Santuário, cerca de 4 km, com a imagem do Sagrado Coração de Jesus atrás. A missa foi transmitida pela rádio Maria, de Bangui, uma rádio católica que se ouve bem em Mongoumba. A peregrinação terminou numa das capelas da Paróquia, Batalimo, com a Missa e o batismo de 30 adolescentes. Pudemos dar graças a Deus por estarmos ali todos, com saúde e muita alegria. A Annia estava com malária e por isso não pôde participar. A Élia também não, porque alguém tinha que ficar com a Annia.
 
No final de Junho terminou a escola com uma percentagem baixa de aprovações, cerca de 50%, de alunos a transitar de ano. Espero que no próximo ano sejam melhores os resultados...
Hoje estou em Mbaiki, vim trazer os professores para participarem, durante duas semanas, na formação em francês e matemática e também em pedagogia. Deus permita que possam aprender bem para melhor ensinarem as crianças. 

a7f62857-6568-43a3-a621-ea7885933138.jpg

A Annia, LMC polaca, está adaptar-se bem e já sabe bastante sango. Ela estuda muito, e continua a estudar Francês. Aprender duas línguas seguidas não deve ser fácil.
Agora que estou mais livre da escola, vou ajudar nos trabalhos com as crianças mal-nutridas.
 
A Élia partiu no dia 2 de Julho para aí e já temos muitas saudades! Que o Senhor a ajude e que fique com o braço bem pois já sofreu muito com ele. Se puder voltar ficaremos muito satisfeitos!
 
Sempre unidos pela oração. 
Desejo a todos umas boas férias.
Beijinhos
 
por Maria Augusta

Festa da Família, celebração do amor, partilha da vida

    

     É mesmo assim, tal como diz o título. Uma experiência de um amor independente que nos torna próximos, que nos faz ser na verdade, na partilha, na oração, em comunidade…

     Mais um fim de semana, mais um encontro, mais um reencontro. Neste fim de semana, em que termina mais um ano de formação, mais um ano repleto de sorrisos, lágrimas, descobrimentos, de amor, alegria, de amizade e de uma profunda descoberta de nós próprios, e da nossa relação com Deus. Um ano repleto de Deus e do seu amor misericordioso por todos nós.

IMAG2438.jpg

      Neste eterno recomeçar houve espaço para a reflexão, houve espaço para podermos refletir sobre todos os momentos, instantes que constituíram cada um dos fins de semana vividos até então. Houve tempo para partilhar com aqueles que durante o ano fazem o melhor para nós e por nós e a equipa coordenadora, aquilo que foi a experiência de Deus em cada um de nós, vivida no seio da Família Comboniana.

     Foram dois dias de partilha do melhor de nós, do melhor que Deus nos dá gratuitamente como um dom, a vida.

     Ali naquele que é o fim de semana da família, rezámos, partilhamos, fomos e permitimos que o outro fosse, rimos vezes sem conta, demos abraços de vida, desejamos paz, fomos amor e fomos testemunho vivo da alegria do Evangelho. Entre gargalhadas de crianças e rugas de experiência, demos Graças a Deus por todos e por cada um ali presente, e por cada um ausente da vista, mas bem presente no coração de cada um nós, éramos mais do que os que estávamos presentes, eramos família Comboniana, difundida pelos quatro cantos do globo….

      Como foi bom testemunhar o amor de Cristo presente em cada um dos familiares que ia chegando, em todo aquele olhar materno e paterno dos que se faziam próximos.

     Família reunida, para festejar este que é apenas um, dos infinitos dons que Deus nos dá, a família. E foi assim em família que demos espaço, tempo para que Deus falasse a cada um de nós, com todos aqueles que na alegria nos fez chegar.

20160710_104044 2.jpg

      Com o Testemunho da Márcia Costa fizemo-nos mais perto de todos os missionários/as que espalhados pelo mundo, anunciam com a vida, o Evangelho de Jesus Cristo, e com o anúncio da partida da Marisa Almeida todos fomos tocados pela bênção que é a sua vida entre nós, e o seu grande abandono nos braços de Deus e no olhar materno de Nossa Senhora, mãe das missões.

17411183_USRu0.jpeg     Ser Leigo Missionário Comboniano é isto mesmo, ser e ser-se família, família que acolhe, que ajuda, que cuida, que planta as sementes concebidas por Deus, vê germinar e ilumina, que dá fruto, família que ora, que partilha, que cresce e ajuda a crescer, que alimenta e dá vida. É olhar que nada esquece, é flor que desabrocha, é sermos simplesmente nós.

     Ser Leigo Missionário Comboniano é estar mais perto do amor de Deus, é testemunhar a vida com a vida.

     É bom ser família junto com todos vocês.

IMAG2447.jpg

por Neuza Francisco

NOVA IMAGEM... A MESMA MISSÃO

NOVO LOGOTIPO LMC.png

No dia 25 de Janeiro de 2016, os LMC Portugal comemoraram 18 anos desde a sua fundação. Neste sentido, para comemorar esta ocasião, o Movimento renova a sua imagem e passará a usar um novo logótipo.
Este novo logótipo incorpora elementos essenciais da espiritualidade laical comboniana:
 
  • A Cruz
  • Jesus Cristo
As 4 figuras que surgem em primeiro plano, formam uma cruz. «... a cruz é a marca de todas as obras redentoras de Deus, porque todas elas nascem e crescem aos pés da cruz.» (S. Daniel Comboni, E.4564). Também nós, estamos conscientes que a missão comporta a aceitação de inevitáveis dificuldades e sofrimentos com a marca da cruz. Contudo, sabemos que no possível sentimento de fracasso ou frustração, Jesus sempre gerou e gera Vida para o Seu povo.
 
  • Internacionalidade e interculturalidade
As 4 figuras que formam a cruz, com as cores dos continentes (África, Ásia, América e Oceania), e surgem de braços abertos (dando a ideia de movimento, de partida), significam a alegria, disponibilidade e o chamamento de cada Leigo Missionário Comboniano a anunciar Jesus Cristo àqueles que ainda O não conhecem. A cor branca do coração presente na figura verde representa o continente Europeu. 
Uma característica missionária é o viver em transição, o não “assentar raízes”, com toda a precariedade e fragilidade que isso possa implicar; o sentir-se caminhante em direcção a Deus e peregrino em direcção ao irmão. Como missionários que somos e temos uma positiva e real disponibilidade para sair em direcção a outros povos, vivendo a missão ad gentes no meio de outras culturas, credos e raças, o que é constitutivo da nossa vocação específica. «A obra deve ser católica, não espanhola, francesa, alemã ou italiana. Todos os católicos devem ajudar os pobres negros, porque uma nação só não pode socorrer toda a raça negra»(S. Daniel Comboni, E.944).
 
  • Sagrado Coração de Jesus
O coração representado na figura de cor verde pretende significar a grande devoção de S. Daniel Comboni ao Sagrado Coração de Jesus. Numa das suas cartas, Comboni revela que o seu Plano para a Regeneração da África foi escrito no Vaticano por alturas da beatificação de Margarida Maria Alacoque. Coincidência ou não, Comboni pede a sua assistência, visto que ela amava muito o Sagrado Coração de Jesus. (S. Daniel Comboni, E.1736).
Certo é que Comboni ao longo de toda a sua vida sempre depositou extrema confiança e devoção à cruz e ao Sagrado Coração de Jesus, ao ponto de, lhe consagrar todo o vicariato da África Central. «Por isso fixei o terceiro domingo de Setembro, dia 14, dedicado à Exaltação da Santa Cruz, o dia para consagrar solenemente todo o vicariato da África Central ao Sagrado Coração de Jesus.» (S. Daniel Comboni, E.3202).
 
  • Amor a África e aos pobres
Não é por acaso que o coração presente no logótipo está sobre o peito da figura de cor verde, representando por isso o continente Africano. Daniel Comboni ofereceu a sua vida ao coração da África, com a África no seu coração. Ao assistir à morte em África dum seu jovem companheiro missionário, Comboni em vez de desanimar sente-se interiormente confirmado na decisão de continuar a sua missão. «As últimas palavras dos meus irmãos e minhas serão sempre 'Nigrízia ou Morte'». (S. Daniel Comboni, E.3004).
 
 
  • A importância da vida comunitária
O ponto de união das 4 figuras que formam a cruz, significa a nossa vivência comunitária. 
O nosso caminho tem uma dimensão comunitária. É importante que no Movimento procuremos estruturas que ajudem a reforçar os laços afectivos, o acolhimento dos que regressam da missão, a vida de grupo, a partilha de vida e de fé, etc. Esta vida comunitária não significa, necessariamente, viver “debaixo do mesmo tecto”, pois a vida comunitária laical tem as suas próprias características e riquezas. Mas, acreditamos que, nessa diversidade de formas, o essencial é viver em comunhão desde a partilha de bens e da própria fé. «Tudo era suportável para estes dignos ministros de Jesus Cristo que não procuravam senão a glória de Deus e a salvação das almas mais abandonadas. Na pequena comunidade de Cartum reinavam a paz, a ordem e o espírito de Jesus Cristo.» (S. Daniel Comboni, E.2042).
 

Bem-vinda Élia!

 

20160703_143036.jpg

 

No dia 03 de Julho chegou ao aeroporto de Lisboa a LMC Élia, de regresso da República Centro Africana depois de 5 anos de serviço missionário na missão de Mongoumba.

Depois de acolhida no aeroporto com grande alegria pelos LMC Pedro, Liliana e Flávio e a Irmã Carmo, fomos almoçar à casa das Irmãs Combonianas nos Olivais onde se encontrava, para além da comunidade das Irmãs Combonianas, a família do Pedro. Durante o almoço matou-se saudades e partilhou-se aventuras da missão. Foi um bonito momento de convivência. A seguir ao almoço ainda houve espaço para deliciosos bolos de boas-vindas! 20160703_160948.jpgNo final da tarde, a Élia continuou a viagem rumo a sua casa no Algarve, onde se encontra agora com a sua família.
Agradecemos a disponibilidade das Irmãs Combonianas e desejamos à Élia um bom retorno e uma boa readaptação à realidade do nosso país!

 

 

 

por Liliana Ferreira