Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Nana

 

 

No Natal, revivemos a alegria e o alvoroço do nascimento de Cristo. Mas, perguntemo-nos: são vistos em algum lugar, em nosso mundo, em nossa pátria, em nossa sociedade os sinais da chegada do Reino de Deus? É Natal no mundo? Onde nasce Jesus? Que significa realmente ser Natal? Chega aos pobres a saúde, a vida, o emprego, a justiça... as Boas Novas? Que podemos fazer para que neste Natal Jesus nasça efectivamente ao nosso redor?
“Nestes dias, as comunidades cristãs relêem o Evangelho que fala de Maria e José não encontrando acolhida em Belém onde Jesus deveria nascer.
Em 1948, a Declaração dos Direitos Humanos da ONU já definia a possibilidade das pessoas migrarem para outros países como direito fundamental de qualquer ser humano. Hoje, os países que se dizem de "cultura cristã", cuja origem é o nascimento de um migrante em Belém, são dos que mais constroem muros de concreto, armas e leis excludentes contra os migrantes.
Este Natal pede dos cristãos uma abertura maior do que simplesmente se recolher no recinto fechado de suas tradições. Hoje, a família migrante de Belém é principalmente o diferente. Celebrar o Natal é conviver com a actual diversidade de culturas e de religiões como graça divina e não como mal a ser suportado.
Que este Natal seja um encontro pela diversidade e contra as intolerâncias. Estaremos, então, prolongando o cântico dos anjos: "Glória a Deus no mais alto do céu e paz na terra às pessoas amadas por seu Espírito". Feliz Natal!

Debaixo do manto da noite escura se escuta uma velha canção de embalar. Curta metragem vencedora da Melhor Curta Metragem de Ficção dos Prémios Goya 2006.
Direcção: Jose Javier Rodríguez Melcón
Produção: Ignacio Monge, Rafael Álvarez