Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Festa Missionária com Maria, mãe da Igreja

 

 


"Sem Cristo, nada podemos fazer."

 

A chuva marcou presença na festa missionária de Famalicão no passado dia da mãe. Este dia, que começou chuvoso, não deteve os amigos, colaboradores e benfeitores que quiseram partilhar, com a Comunidade Comboniana aqui presente, as alegrias da vida missionária.

Assim, talvez envergonhada, a chuva deu lugar ao sol, logo no início do encontro da manhã orientado pelo P. Francisco Medeiros que partilhou, com os presentes, a sua experiência na África do Sul.

 

Esta festa, tão bem animada com a presença e participação das comunidades combonianas da Maia e Viseu, teve um impacto singular na Igreja Diocesana. Na verdade, muitos foram os grupos paroquiais que desejaram ter voz nesta festa.

Os Missionários Combonianos têm vindo a desenvolver uma atividade marcante de animação missionária no coração do Arciprestado de Famalicão e, nesta atitude de reconhecimento, não só eclesial como cívico e social, a rádio Cidade Hoje desejou associar-se à festa, transmitindo, durante a manhã, entrevistas com diversos missionários presentes e culminando a transmissão com a celebração Eucarística, presidida pelo Pe. Luís Filipe Dias, de partida para o Brasil, e animada pelo grupo coral da Paróquia de Calendário.

 

A tarde recreativa contou com a habitual presença do grupo Folclórico Danças e Cantares de Joane e com a boa disposição dos jovens de Antas e da equipa da Pastoral Vocacional Juvenil – Zona Norte.

 

No final da festa, no coração dos participantes, ficam as palavras de agradecimento do P. José Arieira, superior desta Comunidade Comboniana e a frase-chave da homilia do P. Luís Filipe: “Só na medida em que permanecermos ligados a Cristo, poderemos produzir frutos/dons de Amor para os outros. Na verdade, sem Cristo, nossa ‘videira’ e Senhor da Vida, nada podemos fazer.” 

 

 

  

 

 

Por: Susana Vilas Boas, LMC