Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Ecos da I Assembleia dos LMC de Portugal

 Equipa Coordenadora LMC eleita para o próximo triénio. 

 

“O que define o LMC é o seu sentido de pertença, vivência

e participação na Missão do Movimento no mundo e na Igreja.”

 

Nos dias 9 e 10 de Fevereiro os LMC de Portugal estiveram reunidos em Assembleia na casa dos Missionários Combonianos da Maia.

O encontro contou com a participação de 15 pessoas e outros que, não pudendo estar presentes, fizeram questão de nos escrever ou telefonar para dar conta de que estariam unidos a nós pela oração.

 

 

 

 “Para sermos um verdadeiro Movimento laical,

é necessário que cada membro assuma

a responsabilidade  pelo próprio grupo,

pelas decisões e pela organização do mesmo.” 

 

O encontro iniciou-se com uma ligação via Skype com o Alberto de La Portilla, LMC de Espanha e coordenador do Comité Central dos LMC. Na sua intervenção, o Alberto frisou a importância do caminho já feito pelos LMC de Portugal, mas também recordou que para sermos um verdadeiro Movimento laical, é necessário que cada membro assuma a responsabilidade pelo próprio grupo, pelas decisões e pela organização do mesmo. No seu ponto de vista, o Movimento deve propor caminhos que favoreçam o seguimento de Jesus Cristo tanto além-fronteiras como na terra que nos viu nascer. As dificuldades próprias das nossas vidas de leigos e leigas não nos devem afastar da vocação ou limitá-la a um tempo parcial de entrega à missão. Devemos antes encontrar formas concretas de viver uma entrega total à missão a partir das nossas vidas, numa disponibilidade como foi a de Comboni: África ou morte!

 

 

 

A Assembleia prosseguiu. Nos debates e partilha de ideias estava patente o desejo de agilizar a nossa orgânica, procurando equilibrar a natural tensão entre o que cada um pode fazer a partir da sua vida e a seriedade que o seguimento de Jesus sempre implica.

 

“Devemos procurar equilibrar a natural tensão

 entre o que cada um pode fazer a partir da sua vida

e a seriedade que o seguimento de Jesus sempre implica.”

 

Nesse sentido surgiu a proposta de promovermos encontros em pequenos núcleos ou comunidades. Com isto, poderíamos encontrarmo-nos com mais frequência e multiplicar as atividades em Família Comboniana. Para que esta mudança seja efetivamente positiva, será determinante a qualidade da comunicação e o espírito de comunhão entre núcleos, bem como a participação dos LMC’s nos encontros a nível nacional.

 

 

 

Também decidimos que poderia ser positiva a abertura a certas experiências de voluntariado missionário, desde que devidamente justificadas e contextualizadas. A ideia é a de possibilitar experiências mais curtas no tempo a quem esteja identificado com os nossos projetos e o nosso carisma.

 

“Devemos encontrar formas concretas de

viver uma entrega total à missão a partir das nossas vidas,

numa disponibilidade como foi a de Comboni: África ou morte!”

 

O tema que a meu ver mais marcou a Assembleia foi o da distinção, entre LMC’s e Colaboradores, que existe no Movimento. Foi de opinião unânime que deveríamos terminar com esta diferenciação, sendo que o que define o LMC não é tanto a partida para um projeto missionário para fora do país, mas sim o seu sentido de pertença, vivência e participação na Missão do Movimento no mundo e na Igreja.

 

Finalizamos o encontro com a eleição da Equipa Coordenadora do próximo triénio (A partir da esquerda na foto incial do post: Pe. Manuel Lopes, Pedro Moreira, Susana Vilas Boa, Carlos Barros e Ir. Carmo Ribeiro) e a nova Coordenadora do Movimento que passa a ser a Susana Vilas Boas, a quem desejo muitas felicidades em Cristo neste novo serviço.

 

 

 

Resta-me dar graças a Deus pelo ambiente de oração e amizade que pautou esta Assembleia. Neste fim-de-semana houve tempo para brincar ao Carnaval e para dar graças pela nossa vocação. Agradecemos à Comunidade Comboniana da Maia que tão bem nos acolheu e a todos os que se uniram a nós pela oração. Com todos pudemos sentir a alegria de caminhar em Igreja na busca da vontade do nosso Senhor.

 

 
 
 
 

  

Por: Pedro Moreira, LMC

 

 
 
 
 
 
 
 
 

1 comentário

Comentar post