Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Rebeldes invadem capital da R. Centro-Africana

 

 

  
  
 
Os rebeldes da Seleka (liderados por Michel Djotodia - na foto da direita) invadiram a capital da República Centro-Africana (RCA), Bangui, e conquistavam o Palácio Presidencial. O presidente François Bozize (foto da esquerda) abandonou o país e refugiou-se na vizinha República Democrática do Congo (RDC).

A presença dos soldados sul-africanos ao lado das tropas governativas não foi suficiente para travar o avanço dos rebeldes, que entraram na cidade no domingo, 24 de Março, e tomaram o palácio presidencial sob o fogo de morteiros.


Em Bangui, viveu-se um dia de pânico, reinava a insegurança e multiplicaram-se as pilhagens de armazéns de comércio, de edifícios públicos e de casas particulares.


O secretário-geral do movimento Seleka fez um apelo aos habitantes da capital: «A RCA acaba de virar uma página da sua história», disse Justin Kombo Moustapha, pedindo à população que «desse as boas-vindas às suas forças».


O retomar dos combates entre os rebeldes e o exército, depois dos acordos do passado mês de Dezembro, tinha já feito mais de 170 000 deslocados internos, que da RCA procuraram refúgio no Chade e na RDC. Os combates para o assalto a Bangui causaram a fuga de 26 000 centro-africanos que procuraram refúgio na cidade de Zongo, do outro lado do rio, na vizinha RDC.

 

Com uma superfície de quase 630 mil quilómetros quadrados e uma população de quatro milhões e meio de habitantes, a RCA tem uma história de golpes de Estado, desde a sua independência da França em 1960. O país tem recursos minerais e naturais notáveis, mas encontra-se entre os mais pobres da África e do mundo, em parte por causa da instabilidade política e social em que tem vivido.


Do ponto de vista religioso, a população da RCA divide-se entre o Cristianismo, o Islão e as religiões tradicionais. Os católicos são 1.010.000, divididos por nove dioceses, atendidas por 11 bispos e 308 sacerdotes. Quarenta missionários combonianos trabalham no país, num total de dez missões. Entre eles, contam-se dois bispos: D. Juan José Aguirre, espanhol, bispo da diocese de Bangassou; e D. Guerrino Perin, italiano, bispo da diocese de M’Baiki.

 

Fonte: Missionários Combonianos

 

 

Nota: Conseguimos comunicar esta tarde com a Élia Gomes que se encontra na RCA. A Comunidade encontra-se bem, afirmando que por enquanto tudo está calmo em Mongoumba.

Convidamos todos os leitores a juntarem-se a nós pela oração: para que o Senhor, por intermédio de Maria e S. Daniel Comboni, conceda a sua Paz ao Povo da RCA. Que não faltem homens e mulheres de boa vontade, centro-africanos e estrangeiros, a viverem os valores do Reino do Amor, do Perdão e da Paz.