Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Fim de semana de espiritualidade comboniana

 

 

"O que deve prevalecer na Igreja

é a comunhão e colaboração entre os vários serviços."

 

Realizou-se o Fim de Semana de Espiritualidade Comboniana, no seminário da Maia, de 7 a 9 de Junho, com o tema “Como Comboni, vive e transmite a fé”, que teve a presença de cerca de 30 participantes, na sua esmagadora maioria leigos e leigas.

 

No contexto do Ano da Fé, o encontro deste ano visou a figura de S. Daniel Comboni, fundador dos Institutos Combonianos, com homem de fé, e o papel do leigos na missão da Igreja de acordo com alguns documentos do Vaticano II.

 

O comboniano, Pe.Victor Dias, traçou o percurso de fé de Comboni, o qual enfrentou durante a sua vida missionária muitas dificuldades que puseram à prova a qualidade da sua fé. Os últimos três anos da sua vida foram um «autêntico calvário para Comboni», disse o Pe. Victor, especificando alguns dos problemas com que se deparou: morte dos seus missionários, dificuldades económicas, incompreensões. Morreu aos 50 anos de idade com as seguintes palavras na boca: “Eu morro mas a minha obra não morrerá”.

 

Sobre o lugar dos leigos na sociedade e na Igreja, a leiga comboniana, Susana Vilas Boas, afirmou que os documentos da Igreja apresentam a vocação laical como um chamamento de Deus a viver a fé no seio das realidades sociais, económicas, politicas e culturais. Citou quatro textos do ensinamento eclesial que corroboram esta afirmação: “Christifideles Laici”, “Gaudium et Spes”, “Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização” e “Lumen Gentium”. É contrário ao espírito evangélico qualquer concorrência ou competição entre vocações e ministérios, entre leigos e padres, alertou aquela leiga. O que deve prevalecer na Igreja é a comunhão e colaboração entre os vários serviços.

 

No último dia do encontro, realizou-se uma mesa redonda com a presença de um casal, uma irmã comboniana, um seminarista comboniano e uma jovem. Interpelados sobre as pessoas que influenciaram na sua caminhada de fé, cada um à sua maneira destacou o papel da família, dos pais, dos catequistas e dos párocos. Já sobre o que a fé representa nas suas vidas, os intervenientes salientaram que a fé é uma “mais valia”, que ajuda a enfrentar situações difíceis, e que é sempre uma interpelação nas tomadas de decisão e opções de vida.

 

 

Fonte: combonianos.pt