Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

REFLEXÃO SOBRE O 1º DIA DA ASSEMBLEIA EUROPEIA

Iniciou-se em Viseu no dia 22 de Agosto de 2016 o Encontro Europeu de Leigos Missionários Combonianos (LMC).

A este encontro vieram LMC dos mais distintos países da Europa, nomeadamente Portugal, Itália, Espanha, Alemanha e Polónia. Este encontro surge no seguimento do último encontro europeu em Cracóvia, Polónia, em 2013. Deste encontro surgiram temas que foram considerados prioritários aprofundar em grupo e individualmente ao nível dos LMC. Esses temas foram: Economia e Sustentabilidade, Identidade e Vocação, Organização e Coordenação LMC, Formação, Comunicação e Família Comboniana.

unnamed.jpg

O primeiro dia de trabalhos começou com a apresentação dos trabalhos do Comité Europeu e do Comité Central. Na parte da tarde foi refletido a nossa identidade e vocação. Este encontro começou com uma frase que a todos ecoou no nosso coração: “somos o sonho realizado de Comboni”. Somos no mundo de hoje o seu grito “África ou Morte”. Somos a obra que, no leito de morte, ele afirmou permanecer após a sua existência. Passados 134 anos da sua existência cada um de nós individualmente e em grupo enquanto LMC é presença viva do sonho de Comboni.

unnamed.jpg3.jpg

Seguindo o desafio de ser esta presença viva é necessário estarmos a caminho e como Comboni sentirmos no nosso coração o amor aos mais pobres e escravizados, sentir as suas dores e conhecer as suas feridas. Tal como ele devemos fazer desse amor caminho que nos faz bater a todas as portas que nos faz ser parte do fermento de uma sociedade em mudança. Comboni continua a chamar-nos. A missão continua a chamar-nos. A missão de Comboni é hoje! E é hoje que cada um de nós é chamado a deixar tudo e anunciar o amor de Deus com a vida. Tal como ele devemos tornar-nos disponíveis ao outro. Tal como ele devemos partir e fazermo-nos próximos do nosso irmão que sofre. Tal como ele devemos saber que o nosso lugar é sempre do lado de quem sofre.

 

 por Paula Ascensão