Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

"Reler e reler-me - a família e o projeto de vida"

Formador Dr Miguel Villas Freitas

Foi nos passados dias 19, 20 e 21 de Maio que decorreu a 9ª unidade Formativa LMC em Viseu, com o tema “Reler e reler-me – a família e o projeto de vida”, orientado pelo psicólogo Dr. Miguel Villas Freitas.

A formação teve início no fim da tarde de dia 19, Sexta-feira. Depois de uma calorosa receção, lá nos fomos juntando, com troca de sorrisos, beijos, abraços e novidades! Sim, são abraços à LMC, como eu lhes chamo, por serem bem apertados e genuínos de quem anseia encontrar-se para partilhar momentos únicos e muito enriquecedores!

 

Iniciámos o dia de Sábado com uma breve abordagem do formador, para que entendêssemos melhor o que é reler-me: fazer uma leitura pormenorizada dos acontecimentos passados e das minhas características; tomar consciência de que ninguém o faz por mim; é um tornar-me presente diante da “Presença” para um encontro comigo próprio! E como “cada um de nós se define pelas relações que mantém com o outro”, este encontro foi feito em grupo e assim encontrámos juntos os sinais desta “Presença”.

 

Em seguida, com a orientação do formador, cada elemento do grupo foi incentivado a fazer uma viagem ao seu passado, localizando-se num período da vida onde fora muito feliz! Depois de uma pausada análise dos motivos impulsionadores dessa felicidade, fomos solicitados a transportar esse estado de espírito de paz, sucesso, bem-estar, alegria, realização e felicidade, para o momento presente. Cada um foi ao encontro da sua pérola de sabedoria que desencadeou tanta felicidade nesse período que cada um reviveu. É necessário recuperar esta pérola, trazê-la para o hoje, cuidar dela!

 

Analisámos experiências bíblicas de um reler interior como por exemplo, o encontro de Jesus com os discípulos de Emaús e o encontro de Jesus com Nicodemos. São experiências onde se passa inevitavelmente pelas seguintes etapas: (1) Reformar; (2) Conformar; (3) Transformar; (4) Confirmar.

 

Quem passa por elas analisa as zonas do seu ser que precisam de ser convertidas, procura tomar a forma de Jesus, transforma-se e passa a viver em conformidade com esta transformação. Assim, sai de si, abandona as falsas seguranças e vai para uma lógica de entrega e serviço. Passa a procurar não só o que dá bem-estar, que satisfaz, mas sobretudo o que realiza e deixa marcas mais profundas no seu caráter!

 

Ao logo da manhã foram-nos proporcionados momentos de reflexão individual, seguidos de partilha a dois e, depois, com todo o grupo. Concluímos a manhã de reflexão com o visionamento do documentário “Celebrando o que o mundo tem de bom” da National Geographic, riquíssimo em mensagens relacionadas com a procura do que há de mais belo neste mundo.

 

Durante a tarde refletimos sobre as 24 forças de caráter, escolhendo cada um, aquelas que o impulsionam à ação com toda a naturalidade. Questionamo-nos, individualmente, sobre quais as energias que precisam de ser mais trabalhadas em nós próprios e quais as mais indispensáveis em terreno de Missão como LMC.

 

De seguida fizemos a reflexão individual, com questões muito concretas para responder e partilhar depois, sobre dois pontos: (1) A minha paixão; (2) O meu propósito.IMG_20052017_193108.jpgOração da Tarde

Na oração da tarde tivemos momentos de grande interioridade e partilha. Ele, Jesus Cristo, está ali connosco e o seu Espírito fala em cada um. Como é bom estarmos ali reunidos no cenáculo!

 

 

 

 

À noite, e para relaxar, sem perdermos o espírito de interiorização, vimos o filme: “O Mordomo”.

 

No Domingo surgiram mais momentos de oração e partilha.

Foram-nos apresentados 3 quadros à volta dos quais, deveríamos colocar nossa atenção e reflexão:

 

“Jesus mostra as suas feridas a Tomé!”

Quais as minhas feridas? Como assumi-las em vez de as esconder?

 

“Pegadas na areia!”

Reler momentos da minha vida em que Jesus me pegou ao colo. Com quem e através de quem?

 

“Diminuir o tamanho da minha cruz não é solução.”

Tenho consciência de que sempre que tento diminuir a minha cruz perco a oportunidade de crescer a nível humano e espiritual?

        

Individualmente definimos um propósito para ser levado para casa como desafio e ponto de esforço, tendo em vista que só comprometendo-nos com a mudança poderemos ser felizes!

 

Em conclusão: Só me encontrando comigo, vendo como sou realmente, quais as minhas feridas, que cruz carrego eu e colocando tudo nas mãos de Deus, deixando-me transformar, é que aprenderei a ser o melhor de mim para o mundo, percorrerei o caminho que me levará à Missão e a ser feliz nesta missão à qual estou destinada!

Foto Grupo

 

Glória Rocha