Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

JORNADAS MISSIONÁRIAS - 2009

As Jornadas Missionárias decorreram em Fátima nos dias 18, 19 e 20 de Setembro, levando os cerca de 450 participantes a reflectir e estudar «São Paulo e a paixão pela Missão». Fomos convidados nestas jornadas a prolongar a acção do Ano Paulino que deixou marcas também na forma de viver na missão e em Missão.

Como é impossível todos os LMC e formandos participarem nesta actividade organizada pelos IMAG, apresento-vos em nome dos que puderam estar (Márcia, Élia, Celina, Henrique, Sandra, Verónica, Ir. Carmo e Milu), os principais temas tratados.

Os diferentes oradores conduziram-nos pelos caminhos percorridos pelo apóstolo Paulo ao longo de toda a sua caminhada judaico-cristã. O bispo D. Couto abordou o tema “As grandes intuições da Missão de S. Paulo” salientando o grande encontro de Saulo com Cristo. Vincou a forte adesão deste apóstolo a Cristo que nos diz nas suas cartas: Fui agarrado por Jesus Cristo,… O Amor de Cristo tomou conta de mim,…para mim viver é Cristo.

 

A irmã Luísa Almendra abordou o tema Missão e culturas: dialogo ou confrontação reforçando que a paz será cada vez mais fruto do dialogo e da justiça. Esse diálogo deve começar dentro de cada povo de cada cultura (intracultura) proporcionado um diálogo intercultural, de respeito e de alegria pela diferença onde Cristo esteja sempre presente como fonte de união.

         Manuel Braga da Cruz sob o tema Uma Igreja aberta ao mundo, alertou para a vocação comunitária da Igreja que é chamada a combater e contrariar o individualismo já tão visível entre os cristãos.

         S. Paulo e o evangelho na cidade foi o tema apresentado pelo Cónego António Rego, traçando um itinerário urbano feito por S. Paulo que escolheu sobretudo as cidades como grandes centros de anúncio do evangelho, procurando sempre estabelecer uma rede de colaboradores que se deixaram conquistar pelo Ressuscitado e que com entusiasmo, mas também com espírito de sacrifício, continuavam a missão iniciada pelo maior missionário de todos os tempos.

          Com o tema S. Paulo e a Missão do sec.XXI, o missionário do Verbo Divino José António da Silva também percorreu connosco alguns momentos fortes da caminhada de S. Paulo e salientou sua grande influência, na missão de hoje que reflecte três rostos predominantes: um rosto laical, um rosto feminino e um rosto multicolor. Dizia-nos ainda que a Igreja uma só missão: prolongar no mundo esse diálogo entre Deus e a humanidade.

         O Missionário Adélio Torres Neiva apresentou-nos o Itinerário Espiritual da Missão em S. Paulo com a beleza da dimensão contemplativa da Missão. A Santíssima Trindade é sempre a fonte da Missão e dizia-nos ele que: O Espírito Santo parte connosco para a Missão e traça o nosso itinerário, tal como na caminhada missionária de S. Paulo, por isso somos todos chamados a viver a presença constante de Deus, dando espaço a que o Espírito se manifeste em nós para sermos verdadeiros missionários.

         Os painéis tiveram uma vertente mais concreta e no painel de Sábado foram apresentadas e promovidas iniciativas missionárias como o Curso da Missiologia que decorreu no mês de Agosto, o Guião para a vivência do “Outubro Missionário” e o Projecto “Missão 2010” na diocese do Porto que inclui uma série de iniciativas a culminar com o Congresso Missionário nesta diocese, iniciativas que foram apresentadas como exemplos a seguir para um maior compromisso evangelizador. No painel de Domingo foi dado espaço a três leigas de diferentes congregações e organismos, para nos darem o seu testemunho de Missão e nos falarem de projectos em que estão envolvidas.

No sábado à noite houve tempo para o habitual convívio que foi muito improvisado e animado, onde todos os que quiseram se divertiram e conviveram.

As jornadas terminaram com a Eucaristia no Domingo à tarde onde foram enviados missionários de diferentes congregações (padres, irmãs e leigos) e o movimento dos LMC esteve muito bem representado pela Márcia, enviada para o coração de África. Foram realmente umas Jornadas multicores pois estiveram missionários dos diferentes continentes e para todos esses continentes foram enviados missionários.

 

Ficámos nesse fim-de-semana em Fátima, na casa dos Missionários Combonianos e agradeço às nossas amiguinhas Márcia e Élia que aí se encontravam, em Comunidade P.I. (Preparação Imediata para a partida da Márcia), e que, tão bem nos receberam preparando a nossa chegada para todos vivermos mais intensamente e em espírito comunitário as Jornadas Missionárias.

 

 

 

 

                                                                                                                                                       Milu

Colaboradora LMC

 


Julho em Moçambique

No início do mês de Julho, terminou mais um curso! Mais 12 pessoas puderam adquirir conhecimentos sobre a área de informática para melhorar o seu currículo! Nesta 5ª fase de cursos,  destaco a participação da Ir. Carolina (à minha frente na fotografia), que depois do curso preparou cânticos para as reuniões das Legionárias de Maria e já elaborou um relatório do respectivo grupo. Entretanto também soube de uma anterior aluna que foi pr omovida da cozinha para a secretaria e diz que se sente à vontad e para trabalhar no computador. A utilidade do curso para os jovens não se vê tão depressa, porque está muito difícil arranjar trabalho. Na missão, os resultados demoram a ver-se, mas eles acontecem!

 

Em meados de Julho realizou-se a Assembleia dos Leigos Combonianos Moçambique, em Carapira – Nampula. Província de Moçambique onde o verde é mais verde, a pobreza e a humildade se nota e se sente mais, e também onde as doenças prevalecem.


Vânia

LMC - Maputo
 

Continue a ler aqui

 

O mês de Abril em terras moçambicanas

            O mês de Abril foi marcado por vigílias no início e no fim do mês!

A primeira foi para comemorar a XXIV Jornada Mundial da Juventude, onde estiveram presentes cerca de 800 jovens e estivemos juntos desde as 21h do dia 4 até às 7h30 do dia seguinte!
Preparamo-nos para sair e realizamos uma via-sacra para outra comunidade que dista 3 km, que terminou com a procissão dos ramos (pois era Domingo de Ramos). Durante esta caminhada fomos abençoados 3 vezes (2 chuvadas e no fim a água benta)! Esta vigília terminou com a missa às 6h.
 
Vânia
LMC - Maputo
 
Continue a ler aqui.

 

Visita a Mongoumba - Republica Centro África

Pe. Paulo visitou Susana e Mª Augusta em Mongoumba - Republica Centro África. Eles partilham connosco esses dias que passaram juntos.

  

Desde a minha entrada na equipa de coordenação dos LMC se vinha a falar na importância de fazer uma visita à comunidade dos LMC de Mongoumba na Republica Centro África.

Encontrei uma comunidade muito entusiasmada, com espírito missionário e introduzida no ambiente social e religioso daquele país.

O seu trabalho está voltado sobretudo para a educação e a saúde, mas também colaboram com o Pe. Luigi na visita às comunidades da paróquia.

Têm seis escolas que visitam regularmente procurando criar um compromisso da comunidade local na educação dos seus filhos e ajudam no melhoramento das estruturas escolares, abrindo poços e outras actividades.

Na missão têm um centro de saúde com um enfermeiro e procuram geri-lo para bem de todos mas sobretudo dos mais pobres. Dão uma maior atenção ao grupo dos Pigmeus que é muitas vezes rejeitado e utilizado pelo povo de descendência Banto. Têm também outros pequenos postos de saúde espalhados pelo território da missão os quais visitam frequentemente. Têm um centro para deficientes onde executam 200 fisioterapias por mês. Este centro é único na diocese de M’baiki.

Já existe um bom número de cristão que parecem (sobretudo no centro) muito bem organizados e participativos. No dia de Páscoa houve 40 baptizados os quais, a maior parte eram jovens.

                                                                   Pe. Paulo Emanuel

Equipa Coordenadora LMC Portugal

Continue a ler aqui

 

Susana mostra o seu contentamento pela revisão do Directório dos LMC Portugal

Recebi com alegria o resultado da última revisão do directório dos LMC em Portugal. Na verdade, ele transmite bem, não um número de “regras de conduta”, mas o que, realmente, é um LMC no seu coração. Claro que há um caminho a percorrer em alguns aspectos que ainda, por razões práticas, não conseguimos concretizar, mas, com esperança, vamos co coragem e alegria trilhando este caminho tão bem descrito neste directório, a fim de viver em plenitude a nossa vocação Laical, Missionária e Comboniana.

Sinto-me pois alegre como membro dos LMC portugueses, sempre de coração aberto à internacionalização, pois todos somos família: família em Cristo e em Comboni.

Actualmente, em Missão, aceito este directório com fé, alegria e esperança.

Despeço-me fraternamente no coração do Cristo sempre presente em nós.

Susana Vilas Boas

LMC - Mongoumba

 

 

Missão em Maputo!

Cá estou de volta, depois de algum tempo de férias em casa. Tudo continua da mesma maneira, ou pelo quase da mesma maneira.

Durante este ano, continuo com as mesmas tarefas: dar aulas de informática, catequese e acompanhar a pastoral juvenil, para além de realizar algumas tarefas para a paróquia e para a escola. Um desses trabalhos foi fazer um trabalho sobre as crianças órfãs da nossa escola. É muito triste dizer que em cerca de 500 crianças, existem cerca de 60  crianças órfãs de pai, ou de mãe ou mesmo dos dois…
 
Vânia Costa, LMC
Benfica, Maputo
Moçambique
 
Continue a ler aqui.
 

 

Regresso a Mongumba

 

 

Olá amiguinhos!

Como vão as coisas? Cá estou eu de volta a casa depois destas minhas “curtas e merecidas” férias!
Na verdade, o tempo passou depressa e quase nem deu para estar com vocês, mas… o pouco tempo que passamos juntos, foi bem passado, não foi?

Pois é, aterrei no aeroporto de Bangui às 5 horas da manhã de 11 de Setembro. Do lado de fora, esperava-me um Missionário Comboniano que, indo para M’bata, me perguntava se eu queria boleia e, de M’bata, o Pe. Luigi me daria boleia até casa. Claro que a meio da tarde já estava eu em Mongoumba com a Rosanna e a Maria Augusta.

Como as sebes da Missão, da Da ti Ndoye (Centro de deficientes) e da Caritas está a ser comida pelas térmitas, a Rosanna e eu pensamos ir a Batalimo (a 18 km de casa) tentar pedir uma ajuda para conseguir a madeira necessária para refazer as sebes.
O carro parecia não pegar…
Continue a leitura do texto de Susana Vilas Boas, LMC, fazendo clique
aqui….

 

Kanimanbo

Lichily Kanimanbo (Bom dia, obrigada! - É como dizem aqui! Desejam bom dia e agradecem esse mesmo desejo vindo da outra pessoa!)

Falando um pouco da missão por aqui em Moçambique:
Eu e a Gui estamos bem! Kutsongo a kutsongo (pouco a pouco) vamos entrando neste ritmo moçambicano e realizando a nossa missão!
Se já não se lembram, estamos a viver na comunidade de Stª Bakhita, que pertence à Paróquia de S. Francisco Xavier (nem a propósito que a missa de envio em Espanha foi em S. Francisco Xavier!). A comunidade fica a +/- 4 km de distância da paróquia.

Na comunidade, eu e a Gui fazemos a nossa pastoral e a Gui ainda dá o curso de costura. Eu depois estou na escola da paróquia, que fica mesmo aqui ao lado da casa dos padres!
Continue a leitura do texto de Vânia, LMC, fazendo clique
aqui….

Aventuras da missão

Olá! Olá!

Faz tempo que não vos conto algumas “aventuras” vividas aqui com a nossa gente. A verdade é que o tempo voa e não é fácil conseguir o tempo e a serenidade necessária para vos escrever “como deve ser”.

Aqui, como sabeis, cada dia é uma “aventura” e, a partir da experiência de cada dia, eu poderia escrever não uma pequena carta como esta aos LMC, mas um livro (por vezes, um livro de dois ou três volumes!).

Pois é, contar-vos-ei o meu dia de Páscoa e a experiência de uma “nova” Páscoa…


Continue a leitura do texto de Susana, LMC, fazendo clique aqui….

Carta da Maria Augusta da República Centro Africana

Eu cheguei bem a Bangui. A viagem correu bem apesar das greves que havia em Paris. Fiquei 6 dias em Bangui para tratar da carta de residência. Fiquei muito admirada, porque tive de fazer a impressão digital de todos os dedos das duas mãos, e pelo preço do documento, mais de 300€.
Achei Bangui muito menos desenvolvida que Maputo e até mesmo Nampula ou Nacala. Soube, mais tarde, que era uma cidade bonita, mas que ficou muito destruída durante o golpe de estado de 2003.
Acho que Moçambique está mais desenvolvido que Centro africa. Deus queira que possa ver este país a avançar em frente, como vi Moçambique.
As Missões são parecidas. A paisagem é diferente. Aqui há muito mais árvores e é tudo muito mais verde. Agora que é a época seca está tudo verde. Há muito mais água e rios com grandes caudais.


Continue a leitura do texto de Maria Augusta, LMC, fazendo clique aqui….

Adeus David

Desde a Missão de Mongoumba, Susana nos escreve, partilhando o caminho precurrido e criando comunhão connosco

Passava pouco da sete da tarde do dia sete de Outubro quando os gritos invadiram a Missão. O pequeno David tinha vindo no dia anterior com os avós, segundo eles, o pequeno estava "um pouco quente".
Eu estava com a começar uma malária por isso não pude fazer grande coisa, contudo, a Rosanna verificou a febre e não era nada de significativo, mas ficamos com ele durante a noite para ver o que acontecia.
No dia seguinte, eu já não conseguia me levantar da cama mas a Rosanna continuava atenta ao pequeno David.
Às três da tarde, ela vem ao meu quarto e diz-me: "olha, o David está super-quente! Já lhe dei o paracetamol e a febre não desce!" Eu, também com febre, pus a mão no menino e vi que era exagerada a temperatura. ...

Continue a leitura aqui…