Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Jesus e o Reino

O encontro deste fim-de-semana (29 a 30 de Setembro) foi bastante rico: pela temática e pela dinâmica que se criou entre o “novo” grupo!

 

O tema proposto para este novo ano de formação foi Jesus e o Reino: Jesus, homem que foi e apóstolo da chegada do Reino do Pai – “o Reino de Deus não vem de maneira ostensiva. Ninguém poderá afirmar: ‘Ei-lo aqui’ ou ‘ei-lo ali’, pois o reino de Deus está entre vós” (Lc 17, 20-21). Chegada discreta deste reino, não? Principalmente para nós que vivemos 2000 anos depois de Jesus, habituados à ostentação, à futilidade e ao exibicionismo cultivado pela sociedade em que vivemos!

Jesus é a prova do testemunho vivo do Reino de Deus. Com este exemplo de Jesus e a exemplo dele devemos procurar viver cada dia – os dias melhores e os piores. E como o devemos fazer? Vivendo cada dia a nossa vida, que afinal é a vida que Deus quer para nós, aceitando todos os desafios que nos são propostos e atravessando as adversidades! Como diz Fernando Pessoa “pedras no caminho? Guardo-as todas um dia construirei um castelo”… Nós poderemos aplicar esta máxima à nossa vida de cristãos: pedras no caminho? Guardo-as todas… A cada dia construiremos com elas o Reino de Deus! Afinal… Depois de uma curva, haverá sempre uma recta, ainda que o piso esteja escorregadio, ainda que a visibilidade seja pouco o nosso dever é continuar em frente!


Deixo-vos aqui algumas questões que nos foram colocadas neste encontro, para que possam reflectir e crescer connosco:

 

O que sentiriam as pessoas quando se aproximavam de Jesus?
O que é que eu sinto quando medito profundamente sobre os vários gestos dele?
De que forma posso anunciar o Reino de Deus na minha vida e onde o posso fazer?
Como me sinto quando o faço? O que me impede de viver este anúncio?

 

Depois de muita discussão (saudável) sobre estas e outras questões que o nosso orientador nos colocou (obrigada Pedro!) concordamos que deveremos ter sempre presente este anúncio na nossa vida – no trabalho, na escola, na fila do talho, na paróquia, na família, enfim na nossa vida.

 

Quem era o staff de Jesus? Pessoas simples, sem instrução – pescadores, agricultores, artesãos. Homens e mulheres que sentindo na pele as consequências do rompimento com o sistema instalado (por exemplo José de Arimateia, Nicodemos ou Zaqueu), não hesitaram em segui-lo no anúncio do Reino.

 

Neste fim-de-semana também discutimos bastante a “igreja instituição” e das contradições que ela, por vezes, gera no seu meio! Jesus também se revoltou contra o sistema. No entanto, esta revolta não era motivada por sentimentos de frustração ou de raiva, antes pelo amor à verdade e ao Reino de Deus. A missão de Jesus e com ele, daqueles que o seguiam era clara. Não seria possível continuar e servir a dois senhores, era apenas possível continuar em frente num único sentido, o da construção do Reino.

 

Jesus, sendo homem atravessou momentos da sua vida bastante difíceis e dolorosos: é no Horto que Jesus trava a batalha mais dura da sua vida, refugia-se na amizade dos Homens para se levantar: “A minha alma está numa tristeza de morte; ficai aqui e vigiai comigo” (Mt 26, 38); e no amor do Pai para ir até ao fim: “Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, faça-se a tua vontade” (Mt 26, 42). A obediência faz com que Jesus seja totalmente transparente e radicalmente livre.

 

Para além do muito trabalho espiritual desenvolvido no fim-de-semana também tivemos tempo para acolher os caloiros LMC: o Zé Carlos, a Renata e a Márcia… Na noite de sábado conjuntamente com um chá quentinho e umas bolachinhas podemos partilhar um pouco das nossas vivências, abrindo o nosso coração aos recém-chegados e eles o seu… É bom saber que temos mais três companheiros de caminhada!

Deus nos acompanhe a todos até ao próximo encontro.

 

Bárbara

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.