Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Jornal “Caminho - um testemunho

Carlos e Sandra (1).png

Partilhamos mais um pedaço do Jornal Caminho de Abril da Paróquia de Cristo Rei da Vergada. Hoje com o testemunho do casal LMC Sandra Fagundes e Carlos Barros.

 

Um testemunho

 

Os Leigos Missionários Combonianos (LMC) são um Movimento de cristãos que, tocado pelo chamamento de Deus e segundo o Carisma de S. Daniel Comboni, se sentem impelidos a anunciar Jesus Cristo àqueles que ainda O não conhecem. Sendo um sinal da missionaridade das Igrejas locais, partem para outros povos ou culturas, por períodos de 2 anos ou mais, num compromisso apaixonado que se mantém após o regresso.

Veio o SENHOR, pôs-se junto dele e chamou-o, como das outras vezes: «Samuel! Samuel!» E Samuel respondeu: «Fala, SENHOR; o teu servo escuta!» 1.º Samuel 3, 10

O Senhor, ao longo das nossas vidas, chama-nos repetidamente. Às vezes é difícil “ouvir” este chamamento, ou porque estamos distraídos, ou porque simplesmente tapamos os ouvidos.

A nossa experiência, como casal comprometido com a Missão, iniciou precisamente com o “sim” que cada um de nós, individualmente, deu como resposta à vocação à qual o Senhor nos chamou.

Sem medo de arriscar, deixámos aqui os amigos, a família e o trabalho e partimos para o Norte de Moçambique, mais concretamente para a Missão Comboniana de Carapira. (A Sandra de Novembro de 2006 a Janeiro de 2009, o Carlos de Novembro de 2008 a Dezembro de 2011). Em períodos diferentes ali vivemos alguns anos com o povo Macua. Apenas depois namorámos e casámos, agora vivemos a nossa vocação de Leigos Missionários Combonianos e também a vocação do matrimónio não na missão além-fronteiras mas na missão em Portugal, no nosso dia-a-dia.

Partilhámos com o povo Macua, as suas vidas, suas alegrias e tristezas, que apesar de ser um povo que sofre com a falta de cuidados de saúde básicos, com a falta de qualidade no ensino, e de viver com quase nada, é capaz de repartir entre si, e desinteressadamente, o pouco que tem. Ali não existe lugar para o egoísmo nem preocupação em acumular riquezas pessoais e apesar de viverem com dificuldades têm uma alegria contagiante.

Carlos e Sandra (2).png

 Esta alegria de Jesus e da sua Boa Nova que levámos connosco, que, na verdade já lá estava, que descobrimos e redescobrimos com aquele povo maravilhoso que tanto nos deu!

Cada reencontro com Deus é uma grande festa para este povo. São pobres e necessitados nos caminhos da vida, mas alegres e felizes na relação com Deus. As danças, os cânticos, os símbolos, os silêncios (especialmente os silêncios)... foi algo de tão eterno, que muitas vezes, compreendemos que ainda somos muito pobres na nossa relação com o Pai...

Voltando ao nosso país não faria sentido deixar de anunciar esta boa nova que Jesus nos deixou, de partilhar e levar a missão a quem encontramos no nosso caminho principalmente o que vivemos como Leigos Missionários Combonianos além-fronteiras, o que sentimos e partilhámos com o povo Macua, as suas alegrias e tristezas! Simplesmente não podemos reter dentro de nós tudo isto!! Continuando a dar resposta à nossa vocação laical, tentamos ser o reflexo do rosto de Cristo, para as pessoas que também aqui sentem essa inquietação do chamamento de Deus. Não podemos deixar de O testemunhar.

Como casal, tentamos viver a nossa vocação como Leigos Missionários Combonianos, sendo testemunho do Amor de Cristo por toda a Humanidade, pela partilha da nossa vida, no seio da nossa família, no nosso meio profissional, com os amigos, com as pessoas com quem nos cruzamos no dia-a-dia, ajudando a formar leigos para a missão, levando um pouco da missão a cada um, que pode não partir mas pode ser missionário na sua paróquia, na sua vida.

Carlos e Sandra (1).jpg

 Este anúncio, através da vocação matrimonial, nem sempre é fácil… mas Ele nunca nos abandona. Sentimos que podemos ser um pequenino farol. Sentimos que Deus nos encoraja a trazer um pouquinho destes povos até às nossas comunidades, dando-lhes a conhecer as suas dores, as suas alegria e a sua cultura. Mesmo estando do outro lado do mundo fazemos comunhão através da oração.

Agora não estamos lá… estamos cá, mas a missão continua e leva-nos a sonhar com uma Igreja cada vez mais aberta ao outro.

Sandra Fagundes e Carlos Barros

Leigos Missionários Combonianos