Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Leigos Missionários Combonianos

Servindo a Missão ao estilo de S. Daniel Comboni

Retiro de Páscoa LMC

56536194_837158216620678_3938107074784788480_o.jpg

Nos passados dias 6 e 7 de Abril tivemos em Viseu o retiro da Quaresma, orientado pelo Pe. José Vieira. Começámos a manhã a escutar uma música da Aline Barros, chamada Renova-me Senhor Jesus, para começarmos a entrar no espírito de retiro. Este momento de paragem, de criar espaços vazios para escutar Jesus e fazê-lo habitar o mais íntimo do nosso ser.

O momento da manhã teve por tema “a missão: santos e capazes”, como pede Comboni, e teve uma pequena introdução pelo Pe. José Vieira, como linhas orientadoras para um momento seguinte de reflexão e oração individual. Tivemos alguns pontos da Gaudete et exultate do Papa Francisco para nos ajudarem a ver a nossa missão em Cristo e que forma devemos ser santos e missionários em todas as componentes da nossa vida. “Sede Santos porque Deus é Santo”. Ganhar este entendimento, esta perceção no coração de uma vida unida a Deus, em que nos deixamos modular por Ele e assim caminhar para a Santidade.

Fizemos depois a via sacra guiados pelo Evangelho e por Daniel Comboni, que nos levou a reviver as últimas horas de Jesus, tendo presentes aqueles em quem Ele continua a sofrer hoje em Moçambique, Malawi, Sudão do Sul, República Centro-africana e em tantos outros lugares.

Durante a tarde refletimos sobre o tema “coração missionário”, novamente com uma pequena introdução do Pe. José Vieira antes da nossa reflexão e oração individual. Este tema surge porque o coração é o verdadeiro destinatário da missão. Assim, não podemos fugir ao nosso coração, daí ser muito importante percebermos o que o faz palpitar. Para nos ajudar na reflexão, pudemos meditar sobre vários pontos dos escritos de Comboni onde surge a palavra coração. É curioso sabermos que esta palavra surge mais de mil vezes nos escritos de Comboni, torna-se também um sinal da importância do coração na missão e no missionário. Foco aqui três citações que marcaram a minha reflexão:

- “Nós os quatro formamos um só coração, uma só alma. Cada um esforça-se por fazer bem aos outros.” – Escrito 1507 – Vejo-o neste sentido de comunidade, de união num só coração.

- “O coração de Jesus seja o nosso centro de comunicação” – Escrito 4764 – Vi este escrito muito ligada à reflexão da manhã, esta união com Jesus Cristo que se torna no nosso centro de comunicação uns para com os outros e que nos encaminha para a santidade.

- “Quando se tem a plena certeza de estar a fazer a vontade de Deus, todo o sacrifício, todas as cruzes e a própria morte são o mais doce conforto dos nossos corações.”- Escrito 3683 – Ressoa em mim a busca que tenho feito para encontrar esta vontade de Deus para mim, esta certeza plena do caminho a seguir. Levantou-me dúvidas e inquietações que pude rezar e entregar ao Senhor neste retiro.

56770506_837158149954018_3744619060092993536_o.jpg

Ao final da tarde, tivemos a celebração penitencial, que nos ajudou a renovar os nossos corações arrependidos e a revermos aquilo que nos afasta de Deus e do seu Amor. À noite, fizemos uma Lectio Divina com adoração do Santíssimo, com base no Evangelho de Domingo, da mulher adúltera. Foi um momento de abrirmos os nossos corações plenamente perante Jesus Cristo ali presente e de meditarmos a palavra e aquilo que nos falava, a cada um, com as nossas vidas e as nossas dificuldades. Foi para mim uma partilha bonita e um encontro verdadeiro com Cristo.

Na manhã de domingo meditámos, com base na mensagem do Papa Francisco para esta Quaresma, sobre escutar o clamor dos pobres e o clamor da terra. Olhando para os problemas ambientais e olhar para esta quaresma numa forma de conversão plena, não só nas nossas ações para com os outros, mas também pelas nossas atitudes para com a obra da Criação “que se encontra em expectativa ansiosa, aguardando a revelação dos filhos de Deus” (Rm 8, 19). E terminámos o nosso encontro com a Eucaristia, um momento de alegria e comunhão fraterna.

Para mim foi muito importante e muito bom poder viver este retiro. Ajudou-me a parar, a desacelerar e a quebrar as rotinas desta vida tão cheia de preocupações e trabalho. Ajudou-me a encontrar-me com Jesus Cristo, a olhar a sua cruz, a escutar o que fala ao meu coração. Ajudou-me a tranquilizar receios e dúvidas que tantas vezes agitam o meu coração, na certeza de que quando caminho com Ele, tudo faz sentido.

Ana Sousa